Capelas de Aveiro: Capela de Nossa Senhora da Ajuda

I - Capela de Nossa Senhora da Ajuda
A Capela de Nossa Senhora da Ajuda, situada extra-muros da antiga vila de Aveiro, em território da extinta freguesia de São Miguel, foi primitivamente dedicada a São Gregório, pontífice romano, como era voz comum e consta dos mais antigos escritos. Sabe-se que já existia em 1575, pois por um testamento de legados de propriedades à Confraria de São Pedro e São Paulo de Aveiro feito por Mateus Fernandes Rapete e sua mulher é referida uma vinha junto a São Gregório da Vila de Aveiro. Em 1626 Manuel Correia de Quadros e Veiga e sua esposa D. Luísa de Almeida e Costa instituíram o vínculo da Quinta de São Gregório, "próximo ao templo que tinha essa invocação e que depois se denominou da Senhora da Ajuda". É referida por Cristóvão de Pinho Queimado em 1687 na sua enumeração de ermidas em Aveiro, ainda com invocação de São Gregório. Na informação paroquial da Freguesia de São Miguel de Aveiro, dada a 13 de Maio de 1721 por Frei Inácio da Cruz Mendes, é  também referida como Capela do povo e dada como invocação de Nossa Senhora da Guia.
   Num documento dos fins do século XVIII, diz-se que a Capela não tinha administrador nem possuía bens alguns e que "teve a sua ruína com o terramoto", sem se indicar quando foi reedificada.   
   Ficava em pequena elevação, do lado esquerdo quase ao cimo da estrada, sinuosa e íngreme, que conduzia da antiga alameda de Santo António - hoje Jardim Infante D. Pedro - à povoação de São Tiago, sensivelmente defronte do canto norte-nascente do Hospital da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro - actual Hospital Infante D. Pedro. Embora não fosse deselegante, nada tinha de notável, exterior ou interiormente. A Capela, pouco espaçosa, era de pedra e cal, com cobertura de telha, e o seu tecto, arqueado, de madeira. Tinha divisão de presbitério, com um só altar, também de madeira, encimado por um nicho envidraçado, guarnecido de talha pintada e dourada, com a imagem de pedra de Nossa Senhora da Ajuda, que segurava no braço esquerdo o Menino Jesus. Esta era ladeada primitivamente por duas outras imagens - de São Gregório e de São Gonçalo - que se encontravam sobre a banqueta. A mesa de altar era rectangular com um frontal de madeira pintada. Sobre a porta de entrada tinha igualmente um coro de suficiente grandeza para o qual se subia por escada colocada do lado do evangelho, e deste lado, na nave um púlpito com base de forma semicircular. Em 1906, após obras de reedificação feitas e concluidas em 12 de Abril de 1895, são descritos dois altares colaterais construidos em 1894 com aproveitamento de um antigo trono da Igreja de São Miguel, um com a imagem de pedra de São Gregório papa, e outro com a imagem dedicada ao Anjo custódio, imagem pequena em madeira, com algum merecimento, provinda da demolida Igreja de São Miguel de Aveiro. Estes altares teriam forma triangular estando pintados de cor lisa e com poucos ornados.

Vista da primitiva Capela de Nossa Senhora da Ajuda, perto do edificio do Hospital de Aveiro, c. 1910
   O documento aludido regista a curiosa tradição de que a imagem de Nossa Senhora da Ajuda aparecera "dentro em hum caixão na praia do mar com hu papel que dizia, se coloca-se em capela de Aveiro fora da Vila". Tinha pendentes "duas contas, a que chamam leitores, que vinham dentro do mesmo caixão da Snr.ª, e por serem prendas suas, tem as mulheres suma devoção, e fé, de que pondo-os ao pescoço recuperarão abundância de leite p.a alimentarem seus filhos".
Andaria nesta prática misturada a crença com a superstição, sabido como é que os leitores - antigas jóias que se usavam ao pescoço - os colocavam ao peito as mulheres criadeiras, como amuletos, para evitar que o mau olhado lhes secasse o leite...
  
Nossa Senhora da Ajuda
calcário policromado séc. XV-XVI
Autor desconhecido, oficina de Coimbra ?
A Capela de Nossa Senhora da Ajuda não tinha obrigação alguma de missas, mas possuía os paramentos e algumas alfaias suficientes para celebração dos actos de culto.
Nos anos em que ali se realizava a festa da Padroeira, custeada pelos seus devotos, assistia a ela a Colegiada de São Miguel, que recebia de esmola "honze tostões", mais do que o usual, "por ser extramuros. Na véspera da festividade religiosa, o pacato arraial que então havia no largo da Capela, entre esta e os lavadouros públicos que lhe ficavam a nascente, com música, iluminações e fogo preso, fazia as delícias de quem a ele assistia. Raro seria, antes das foganças, não entrar no pequenino templo, revestido de panejamentos ricos e cheio de flores e de luzes, recitando-se devotamente orações diante da imagem de Nossa Senhora da Ajuda. A Capela foi demolida em 1915, por virtude da transformação da antiga estrada na actual Avenida Artur Ravara, sendo os materiais aproveitáveis empregados na construção de uma nova Capela da nesma invocação em Santiago, nas traseiras do Seminário de Aveiro.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário